sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Resenha - Amy & Matthew


Amy & Matthew
Autor: Cammie McGrovern
Numero de Páginas: 336
Editora:  Galera Record





Amy & Matthew - Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos.Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa.À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro... exceto o que mais importa.
Confesso que ainda não sei como começar essa resenha, esse livro desperta muitas emoções e por isso fica complicado falar dele sem parecer super melosa. Mas ok, a princípio vou me ater aos fatos! 
Amy, como é brevemente relatado na sinopse, possui um deficiência física, essa deficiência se chama Hemiplegia, devido a complicações quando ainda era um bebê ela não é capaz de se movimentar normalmente, não possui o controle sobre a maioria dos músculos do seu corpo e faz um grande esforço para fazer atividades simples do dia a dia como comer, falar e andar. Amy não tem controle sobre expressões faciais e nem mesmo consegue se comunicar sem seu dispositivo de voz (semelhante ao usado pelo Stephen Hawking) ela é capaz de falar mas na maioria das vezes as pessoas não conseguem compreender o que ela diz, anda com a ajuda de um andador e precisa que sempre haja alguém ao seu lado para lhe ajudar. Amy é muito inteligente, vai à escola normalmente, é uma menina super dotada, sua mãe se esforça e força a garota para que ela seja tão capaz quanto todos os jovens de sua idade. 


Amy e sua mãe fazem de tudo para que ela seja uma garota normal, mas Amy sabe que não é isso que acontece, a coisa que ela mais deseja no mundo é ter amigos e essa questão a atinge quando Matthew a confronta, após ler um texto seu publicado no jornal da escola sobre como é agradecida pela sua vida. 
“- POR QUE VOCÊ DISSE AS PESSOAS QUE MINHA REDAÇÃO NÃO ERA SINCERA?- Não sei. – respondeu ele começando a suar. – Porque não acredito nela. Não acredito que ninguém possa sentir-se tão confortável.Ela digitou.- POR QUE NÃO?- Você disse que observa a vida de seus amigos e acha a sua melhor. Até aí tudo bem, exceto pelo fato de você não ter amigos.”
Matthew também tem suas particularidades, é uma pessoa muito excêntrica. Ele tem T.O.C (Transtorno obsessivo compulsivo), só que o garoto prefere não admitir que tem um problema e finge que as outras pessoas a sua volta não percebem quando ele conta os ladrilhos, ou quando lava as mãos até os cotovelos mais de uma vez no banheiro da escola.
“O que mais me preocupa é me preocupar demais.”
Matthew para um texto da escola
Os dois jovens se veem envolvidos quando Amy, afim de fazer os tão desejados amigos convence a sua mãe a contratar colegas como auxiliares dela na escola. Ou seja, ela não precisa mais estar acompanhada de adultos que a ajudem, mas sim de colegas treinados pela sua mãe para lidar com suas necessidades e ao mesmo tempo estabelecer vínculos de amizade. Amy pede expressamente a Matthew para que ele participe. Isso é um desafio para Matthew, ele que não consegue se ver envolvido com sujeira, e que vive com medo de germes, ajudando Amy a limpar a baba que escorre as vezes de sua boca aberta involuntariamente. Em nenhum momento ele sente nojo ou medo de Amy, isso é uma das coisas que achei mais maravilhosa no personagem, o menino tem medo de contato, tem medo de tocar outra pessoa, fazer sexo e beijar, mas não tem medo de Amy e de suas particularidades. Ele se sente atraído por ela, ele a acha bonita, mas tem medo dos germes dela tanto quanto tem medo dos germes das outras pessoas.


O mais legal sobre esse livro é que ele prova que todas as pessoas possuem limitações e que elas podem sim conviver com isso sendo felizes. Ele mostra que é possível, é possível para pessoas com deficiência físicas, é possível para pessoas com problemas psicológicos. 
“Aprendi a não julgar as pessoas por suas limitações, mas pela maneira como avançam além delas.
Aprendi que muitas pessoas tem deficiências com as quais precisam aprender a conviver”
Amy para um discurso na aula de oratória
Todos os personagens, possuem suas particularidades e seus problemas e a autora consegue colocar isso muito bem. Ninguém fica de fora, esse não é aquele tipo de livro que tem dois protagonistas e um monte de personagens rasos. É possível se apaixonar com cada um deles. 
A personagem mais complexa do livro, na minha opinião, é a mãe de Amy, Nicole, ela é super forte e quer dar o mundo para a filha. Só que não percebe que com isso a obriga sempre a estar acima da média, ela quer provar para o mundo que a sua filha com deficiência é capaz de tudo, quer provar que ela pode, que ela é inteligente, mas muitas vezes não leva em conta a opinião de Amy. Ao longo do livro vemos a relação das duas se transformar, a garota confronta a mãe e impõe seus limites. Sabemos que isso é difícil, e é muito bonito como foi colocado no livro. Nicole ama tanto a filha que a sufoca querendo provar que ela não é incapaz. 


O final do livro é aberto e muita gente pode não gostar disso, mas eu adoro, sinto que os autores acreditam na gente, que nós podemos imaginar um final para a história, nós temos autonomia para fechar a obra. 
Juntos Amy e Matthew se descobrem, descobrem o amor e descobrem maneiras de viver sendo o que são. Esse não é um livro tradicional sobre amor adolescente, é mais um livro sobre amizade e superação. 
“Não vamos esperar eternamente que nossas vidas comecem. Vamos faze-la começar. Vamos ser destemidos para variar e dizer: Nós podemos fazer isso.”
A edição é super caprichada e as folhas são mais grossinhas e tem uma textura ótima para a leitura. Adorei a maneira como eles colocam as coisas que Amy digita no aparelho de comunicação em caixa alta para informar que aquilo foi digitado. O livro tem uma capa linda e tenho vontade de colocar ele em uma caixinha e guardar só para mim de tão apaixonada que fiquei com ele! 
Me senti melhor, e perdi muitos preconceitos com a história de Amy e Matthew, aprendi muita coisa e espero que vocês leiam esse livro e se emocionem tanto quanto eu!

Comente com o Facebook:

11 comentários:

  1. Ameiiii seu blog.... Ameiiiii sua escrita..... Ameiiii a resenha.... Ameiii tudo.
    Estou louca para ler esse livro, ainda mais depois dessa resenha linda.
    Estou seguindo o blog.

    Ahh assista meu vídeo e se inscreva no meu canal para me ajudar :D

    http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/2015/02/video-resenha-uma-vida-para-sempre.html

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OWWM obrigada flor! Esse livro é muito amor! Leeeia!

      Excluir
  2. Não sei o que é mais lindo: A capa do livro, a sinopse ou o layout do seu blog!!

    http://pandadeporcelana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olha estou bastante curiosa para ler esse livro, porque ele tem sido muito bem comentado.
    Ainda mais quando ele nos passa algumas lições de vida que para mim é super válido.
    Eu adorei tudo que você colocou em sua resenha, porque me chamou bastante atenção e espero ter a chance de ler o meu exemplar logo, mas por conta do meu THE BOOK JAR vou ter que esperar ser sorteado =x

    Mas mesmo assim espero gostar muito, porque tenho curtido muito esse tipo de leitura.
    Enfim...parabéns pela sua postagem, porque está maravilhosa viu?
    Sucesso

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/02/resenha-o-presente_24.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, você tem que ler logo! Ele é super sensível e puro amor! Não tem como não amar!

      Excluir
  4. Oi Camila, tudo bem?
    Acho lindíssima a capa desse livro, mas confesso que mesmo a premissa sendo interessante não faz o meu tipo de livro. Adorei a sua resenha, a história parece ser muito bonita.
    Beijos,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxaaa, Andy, já imagino que você deve estar pensando que esse é um livro de superação e de amor e Culpa é das Estrelas, but, NÃO É! AHAHA É lindo de maneiras diferentes, acho que se tu ler vai te surpreender de maneira positiva!

      Excluir
  5. Já tinha ouvido falar por alto sobre o livro, mas não é o gênero que estou habituada a ler, então sempre deixo passar, mas adorei a sua resenha e também gostei do enredo em si e fiquei curiosa para saber o final dessa história ;D

    http://confissoesdeumaaprendiz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Livrologias, por Camila Teixeira © 2015
Design e desenvolvimento por Chave Criativa