domingo, 7 de fevereiro de 2016

Resenha - Golem e o Gênio | Uma fábula eterna

Golem e o Gênio
Golem e o Gênio
Uma Fábula eterna
Helene Wecker
Número de páginas: 528
Editora:  DarkSide® Books
Classificação: 
Sinopse: Os confrontos e as barreiras vividas por duas culturas tão próximas, ainda que aparentemente opostas. Em Golem e o Gênio, premiado romance fantástico que a DarkSide® Books traz ao Brasil em 2015, o leitor se transporta à Nova York da virada do século XX, em uma viagem fascinante através das culturas árabe e judaica. Seus guias serão poderosos seres mitológicos.
Chava é uma golem, criatura feita de barro, trazida à vida por um estranho rabino envolvido com os estudos alquímicos da Cabala. Ahmad é um gênio, ser feito de fogo, nascido no deserto sírio, preso em uma antiga garrafa de cobre por um beduíno, séculos atrás. Atraídos pelo destino à parte mais pobre de uma Manhattan construída por imigrantes, Ahmad e Chava se tornam improváveis amigos e companheiros de alma, desafiando suas naturezas opostas. Até a noite em que um terrível incidente os separa. Mas uma poderosa ameaça vai reuni-los novamente, colocando em risco suas existências e obrigando-os a fazer uma escolha definitiva.

Vou começar essa resenha explicando como foi meu processo de leitura para esse livro. Eu peguei ele na mão, me encantei pela capa, pela edição, pela diagramação, por tudo, mas me assustei pelo número de páginas. Ele retornou para a estante. Passaram-se alguns dias, ainda encantada pela capa, peguei o livro novamente, li as primeiras páginas, me encantei mais ainda, fui fazendo a leitura de forma lenta, hora largando-o e lendo outros livros durante as pausas, até que chegou um momento da história em que não pude mais negligencia-la, e nesse momento também quis que o livro fosse maior, só para continuar mais tempo imersa nessa história fantástica. Eu ainda não tinha tido o prazer de ler uma BOA fantasia urbana, e Golem e o Gênio foi isso para mim, um livro de fantasia ambientado fabulosamente no mundo real.


A história se passa essencialmente em Nova York na virada do seculo XX, mas podemos acompanhar diferentes épocas e lugares através das memórias de alguns personagens. Nossos protagonistas são Chava, uma mulher de barro, uma golem, criatura proveniente da cultura judaica, e Ahamed, um djinn, um gênio, que é originário da cultura islâmica. Existe muita hostilidade envolvendo essas duas culturas, que se encontram em conflito a muitos anos, e a autora usa disso para nos mostrar que o amor é possível de qualquer maneira. Religião, descendência, ou até mesmo espécie não são contratempos para o amor. 
Ele balançou a cabeça. “Um homem pode desejar algo por alguns instantes, mas uma grande parte dele rejeita esse desejo. Você deve aprender a julgar as pessoas por seus atos, não por seus pensamentos.”
A história possui alguns "plots" principais, são eles:

A história de Chava: 
A golem é encomendada por um homem que se encontra a beira da falência e busca uma mulher obediente para cruzar os mares com ele, sair de Danzig  e ir viver em Nova York. Mas no caminho um imprevisto acontece e Chave se vê sem um senhor, sem um amo, sua principal motivação de vida, único motivo de sua existência, e com isso se encontra perdida em um mundo novo e sem ninguém para auxilia-la. Ela é como uma criança, que mesmo muito inteligente não possui traquejo social. Sua salvação vem em forma de um rabino que consegue perceber sua verdadeira forma. Sem um mestre a golem se encontra inerte, tentada a atender os pedidos de todas as pessoas a sua volta, ela precisa aprender a lidar com seus impulsos e esconder sua verdadeira forma.
“Rapaz”, ele disse, “você sabe o que é um golem?”
“Uma pessoa feita de barro”, disse Rotfeld, hesitante.
“Errado. É uma besta de carga. Um escravo corpulento e irracional. Golens são feitos para a proteção e a força bruta (…)”.

A história de Ahamad:
O Djinn surge quando um ferreiro muçulmano que vive em Nova York está concertando uma garrafa de ferro e acaba rompendo o lacre e libertando da garrafa o gênio, que se encontra preso na forma humana. Ahamad não sabe como foi parar na garrafa, e nem de onde surgiram as pulseiras de ferro que o impedem de retornar a sua verdadeira forma de espirito de fogo. Ele se vê em intensa melancolia, a forma humana é limitada, ele que sempre foi um espirito livre no meio dos desertos se vê preso a rotina humana que não parece lhe fazer nenhum sentido.
Entre as diversas qualidades de djins – uma raça muito diversa, com formas e habilidades variadas -, ele fazia parte de uma das mais poderosas e inteligentes. Sua forma verdadeira era insubstancial como uma golfada de ar, invisível aos olhos humanos. Nesse formato, era capaz de conclamar os ventos e cavalga-los pelo deserto. Mas também podia assumir a forma de qualquer animal, tornando-se tão sólido como se feito de músculos e osso.  (…) mas a sua verdadeira natureza ainda seria a de um djim, criatura do fogo (…) [e] ele nunca permanecia por muito tempo assumindo a mesma forma corporal
A história de Yehudah Schaalman e Saleh Sorvete: 
Esses são dois personagens secundários que eu não podia deixar de fora dessa resenha devido a importância para história assim com a profundidade da personalidade dos dois.
  • Yehuda é um ex-rabino que se vê arrastado para uma vida de mal uso do seu talento para o misticismo, é Schaalman o criador da golem, de quem o "noivo" encomenda a criatura que vai levar consigo para Nova York. Ele é um personagem intrigante, misterioso, que nos deixa sempre com uma pulga atrás da orelha, nós sabemos que não podemos esperar nada bom dele.
  • Saleh sorvete, como é conhecido em Nova York na comunidade síria, é um homem que em tempos áureos foi médico em sua região, mas devido a uma "doença misteriosa" com bases misticas se torna incapaz de de exercer sua profissão, com a perda da família, sem pretensões, decide sair de sua terra natal e buscar algo mais em Nova York. É um personagem extremamente amargurado e cético, ele acredita apenas no que vê, e quando seus olhos parecem trair sua racionalidade ele até tenta negar, mas sabe que existe algo mais, e se coloca a disposição para ajudar.
Vivera tanto tempo na expectativa de sua morte que contemplar o futuro era como estar à beira de um abismo, encarando o vertiginoso impacto do céu.

O livro é capaz de levar o leitor em um tour cultural. Através da alegoria da Golem e do Gênio Helene nos mostra como eram as comunidades islâmicas e judaicas que migraram para os Estados Unidos a procura de uma vida melhor. Esse, aliás, é um livro cheio de alegorias. A Golem, assim como a mulher na cultura judaica (e o que é esperado da mulher em geral em qualquer cultura), é submissa, tem como finalidade de vida servir, e tornar realidade os prazeres do seu "amo". Já o gênio vive os prazeres que são disponíveis apenas para o homem mas ao mesmo tempo se vê aprisionado por culpa de sua própria ganancia. Ao longo da leitura pude perceber que existe uma leve referencia aos personagens Elizabeth Benneth e Darcy de Orgulho e preconceito, não sei dizer se é algo intencional da autora, ou se é ataque de fangirl meu. AHAH


É impossível ler esse livro e não se pegar refletindo a respeito de muitas coisas. São muitos questionamentos morais e religiosos que surgem ao longo da leitura, fazendo com que nós nos peguemos pensando em coisas que antes eram tão claras. Nem tudo é preto e branco, existem muitos tons entre essas duas cores, e Helene Wecker com Golem e o Gênio nos mostra um novo prisma. Fico muito feliz de ter lido esse livro, de ter conhecido essa história, pois com ele aprendi muito a respeito de duas culturas muito ricas, e também me vi filosofando a respeito da vida e das minhas escolhas. Espero em breve ler algo mais da autora, sempre acompanhada é claro do grande estilo e capricho da Editora Dark Side!

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Olá, tudo bem? :)
    Já tinha visto esse livro em alguns vídeos, e achei lindo, mas nunca tinha lido uma resenha, então não fazia a mais pequena sobre o que tratava, mas agora fiquei com muita vontade de ler. Fantasia é um dos meus géneros favoritos. Queria que esse livro, com essa edição maravilhosa, viesse para Portugal.
    Beijinhos
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é uma maravilha! Leia logo que não vai se arrepender!
      Pois é, por enquanto a DS só existe por aqui, não sei, se de alguma maneira eles enviariam para Portugal. :/

      Excluir
  2. Oi Camila!
    Esse livro está entre os meus desejados, espero um dia ter a oportunidade de lê-lo, conheço pouco sobre as duas culturas abordadas e tenho muita curiosidade pelo enredo, principalmente porque parece tratar-se de uma história de amor quase impossível.
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, assim que tiver a oportunidade, leia! É muito legal conhecer melhor novas culturas!

      Excluir
  3. Camiii
    quero muito ler esse livro. To fazendo que nem tu! Pego, olho, acho lindo e grande, e devolvo para a prateleira. sei que o livro vai ser bom, mas não sei o motivo de não conseguir começar a leitura.
    Referências a Orgulho e Preconceito? Essa informação é nova para mim. Amo esse livro. Acho que vou ter que dar uma chance depois dessa.
    Bjuu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AHAHHA Mas é natura né? É um calhamaço, dá medo mesmo!

      Excluir

 
Livrologias, por Camila Teixeira © 2015
Design e desenvolvimento por Chave Criativa