sexta-feira, 22 de abril de 2016

Resenha - Outro Dia

Outro Dia
Diário Extraordinário
David Levithan
Livro cedido pela editora
Número de páginas: 322
Editora: Galera Record
Classificação: 
Sinopse: Um dos mais inovadores autores de livros jovem adulto e o primeiro a emplacar uma trama gay na lista do New York Times, David Levithan retoma a sua mais emblemática trama em "Outro Dia". Aqui, a já celebrada — com várias resenhas elogiosas — história de Todo Dia é mostrada sob o ponto de vista de Rhiannon. A jovem, presa em um relacionamento abusivo, conhece A, por quem se apaixona. Só que A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Mas embarcar nessa paixão também traz desafios para Rhiannon. Todos eles mostrados aqui.

Em 2014, eu li o maravilho Todo dia do David Levithan, que conta a historia de A, uma pessoa que todo dia acorda em um corpo diferente. Até que um belo dia, A acorda no corpo de Justin e se apaixona pela namorada dele, Rhiannon.
Fiquei muito feliz e ao mesmo tempo com medo quando a Editora Galera Record divulgou que lançariam um livro com a visão da Rhiannon da história. Feliz por poder matar a saudade de A e de Rhiannon e com medo de que esse livro não fosse tão bom quanto o primeiro. Quando Outro dia chegou às minhas mãos, resolvi reler Todo dia. Queria poder acompanhar a visão dos dois personagens ao mesmo tempo. Li os livros, alternando capítulos.


Sobre o livro
Rhiannon tem 16 anos e namora Justin. Justin não é um namorado muito legal com ela. Rhiannon vive na expectativa de ter algum momento bom ao lado do namorado, que está sempre com a cara fechada e mal humorado. Eles têm um namoro estranho e, algumas vezes, perturbado.
Até que um belo dia, Justin se torna o perfeito namorado em um dia perfeito. Porém, no outro dia tudo volta ao normal. Rhiannon não compreende a mudança do namorado. Ela nem imagina que a verdade é que foi A, uma pessoa que amanhece cada dia em um corpo diferente, que estava no corpo de Justin naquele dia.
A acaba se sentindo atraído pela garota e decide retornar no outro dia só para vê-la. Assim, todos os dias A volta, pois sente vontade de ficar perto dela e conversar com ela. Até que um belo dia, resolve abrir seu coração e contar quem realmente é para Rhiannon. A quebra desse segredo mudará a vida deles para sempre.


Minha opinião
 A capa é bem parecida com a anterior, mas no tom de azul. A edição está bem simples, porém caprichada. Fonte e espaçamento bons. São 32 capítulos. 
Levithan conseguiu contar a mesma história, sem ser cansativa. Muito pelo contrário: o livro é simplesmente maravilhoso, mas ainda considero o primeiro livro melhor. Acompanhar a história pela visão de A é muito mais envolvente, mas Outro dia tem seu valor. Posso disser até que o livro pode ser lido tranquilamente sem que tenha se lido Todo dia.
A narrativa é em primeira pessoa, contada pela própria Rhiannon. A escrita do autor é como sempre: fluida, envolvente, gostosa e rápida.
Rhiannon é uma personagem confusa e cheia de dúvidas na maior parte do tempo, contudo, é compreensível sua indecisão. Acho que não seria nada fácil estar na situação dela. Nem tanto em relação ao namorado, que era um chato e abusado. Nessa parte, não consigo entender a dificuldade de colocar um fim no relacionamento. Mas sim, em relação a A, pois são muitas incertezas nesse possível relacionamento. Não tem como não se colocar no lugar de Rhiannon, quando A aparece a cada dia em um corpo diferente.


Mais uma vez, o autor nos coloca numa situação desconfortável quando A está em posse de corpos de pessoas diferentes com problemas diferentes. Faz-nos questionar o que realmente importa para nós nas pessoas. Na minha opinião, o fato de David Levithan abordar a diversidade e de nos confrontar sobre como seria nossa reação a elas são os maiores diferenciais dos dois livros.
Para mim, tanto o final de Todo dia, quanto o final de outro dia ficam em aberto. Não sei se a intenção do autor é escrever mais sobre a história ou nos matar do coração mesmo!
Esse livro só reforça o quão extraordinária é essa história! Conseguimos ver a essência do primeiro livro nesse também. Um livro que fala acima de tudo de amor. Um amor pelo interior, pelo caráter, um amor puro e real, em que os julgamentos vão além de tudo e de todos. O amor que todos nós queremos.

Resenha por Letícia Delicor do blog Lê lendo lido

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

 
Livrologias, por Camila Teixeira © 2015
Design e desenvolvimento por Chave Criativa