sexta-feira, 6 de maio de 2016

Resenha - Rebelde

Rebelde
Rebelde
Amy Tintera
Reboot(#2)
Livro cedido pela editora
Número de páginas: 352
Editora: Galera Record
Classificação: 
Sinopse: Wren Connoly acreditou que seu lado humano tivesse ficado para trás no instante em que ela morreu... e voltou à vida como Reboot em surpreendentes 178 minutos. Com uma força extrema e treinada para ser o soldado perfeito, Wren precisou fugir da CRAH, Corporação de Repovoamento e Avanço Humano, para salvar Callum 22, o rapaz que lhe mostrou ser possível ter emoções, compaixão e até amor, sendo Reboot. Após terem escapado da CRAH, Wren e Callum estão prontos para recomeçar a vida em paz, na reserva Reboot. Mas Micah, o Reboot que comanda o local, tem planos malignos em mente: dizimar os humanos da Terra. Micah vem construindo um exército Reboot há anos, e finalmente está pronto para iniciar ataques às cidades. Agora que fugiram, Wren e Callum precisam decidir se ficam ao lado de Reboots ou se abandonam tudo e vivem longe da guerra. Aos poucos, os dois percebem que só há uma alternativa: precisam se tornar rebeldes.

Oi meus amores, vocês vão reparar que a resenha de hoje vai ser num formato um pouquinho diferente. Eu e o lindissimo Léo do Segredos entre amigas fizemos um buddy read de Rebelde e por isso decidimos fazer uma resenha dupla com tudo que achamos do livro! Vale lembrar que esse livro é uma continuação de Reboot, que já foi resenhado aqui no blog, então se você ainda não leu o primeiro livro não indico que leia essa resenha por que pode ser que pesque algum spoiler! Então, fique esperto!



Quando Wren conheceu Callum, não imaginou o quanto sua vida mudaria. A Reboot sempre seguira as ordens da CRAH e sempre parecera não se importar com o que fazia. Mas depois que Callum apareceu e Wren se viu precisando salvá-lo dos mesmos experimentos que mataram sua melhor amiga, Ever, ela percebeu que podia sim ter sentimentos, contrariando tudo que acreditava sobre ser uma Reboot.
Com a ajuda de Addie e de alguns rebeldes, Wren invadiu a instalação Reboot da CRAH em Austin e salvou todos os Reboots aprisionados, além de conseguir o antídoto necessário para salvar Callum. Os humanos lhe indicaram uma reserva no meio do deserto, onde alguns Reboots desagarrados viviam e ela poderia encontrar abrigo.
Assim, no final do primeiro livro, Wren, Callum, Addie e os Reboots de Austin partiram para essa reserva. Rebelde começa exatamente onde seu predecessor terminou, com a sua chegada ao local. Ali estavam todos os sonhos dos Reboots: um lugar pra viverem entre os mesmos de sua espécie, longe dos humanos e o mais importante, livres da CRAH.
Eles são recebidos por Micah, o líder da reserva, que fica espantado à princípio com a quantidade de Reboots que forma o grupo de Wren. Ao saber que ela é uma 178 e os resgatou praticamente sozinha de uma base da CRAH, sua admiração pela garota aumenta. É claro que Wren não se sente à vontade ali logo de cara. Algo em seu âmago diz que tem algo errado ali, mas prefere ignorar esse instinto pra deixar Callum tranquilo.
Só que quanto mais tempo eles vão passando na reserva, mais Callum vai percebendo que Micah não é exatamente quem ele pensava ser. Os Reboots da reserva conseguiram derrubar diversas naves da CRAH em pleno voo após um ataque, sem quase nenhuma baixa ou dano material. Além disso, o grupo íntimo de Micah, os Reboots +120, parece nutrir um ódio mortal pelos humanos, achando que ser Reboot é ser evoluído.
Quando Addie é punida severamente por discordar dos ideais de Micah, Wren também percebe que está na hora de eles saírem de lá. Os planos de Micah são mais obscuros do que ela sequer imaginara e a raça humana corria perigo. Wren não se importava, mas Callum sim, e ela faria de tudo para ajudá-lo. Mas o que fazer quando seu inimigo é sua própria raça?
Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!


O Peaga havia lido Reboot e resenhado aqui no blog, ele não curtiu muito então quando saiu a continuação eu decidi que seria uma boa ideia dar uma chance para a série entrar no meu coraçãozinho e fui lá ler os livros. Estava a muito tempo curiosa quanto a leitura e decidi me aventurar.
A escrita de Amy Tintera é simplesmente maravilhosa, daquele tipo que te faz querer desfrutar da trama aos poucos, para conseguir absorver todos os detalhes. Demoramos praticamente uma semana lendo suas pouco mais de trezentas páginas, mas a experiência foi tão gratificante que nem nos importamos. Valeu super a pena.
Nesse segundo volume, a narrativa também é feita em primeira pessoa, mas dessa vez alternando a perspectiva de Callum e Wren. Quando vi, logo no primeiro capítulo do livro, que a narrativa seguiria essa divisão, fiquei com medo do que estava por vir. Convergente causou um um pequeno trauma quando no último livro a autora resolve inserir um novo narrador...
Os personagens estão simplesmente maravilhosos. Callum até então era nosso favorito, mas Wren conquistou nosso coração de vez. Ela é uma das personagens mais badass que já tive o prazer de conhecer e agora que pudemos ver um outro lado dela, foi impossível não se apaixonar. Callum continua com seu jeito doce e gentil para com todos, mas também conhecemos um outro lado seu, que o tornou mais forte.


O final do livro foi de tirar o fôlego. Quando Tintera começou a construir o clímax, imaginei diversas possibilidades, mas a autora mais uma vez conseguiu me surpreender. As cenas de ação, que preencheram mais da metade da obra, foram muito bem detalhadas e Amy deu um fim digno aos personagens e ao enredo. Amei com força, haha.
A edição física do livro segue o mesmo padrão do seu anterior. A capa é uma adaptação da original e mesmo sendo bastante minimalista, é muito bonita. A diagramação é simples, as páginas são amareladas e a fonte é grande. Minha única ressalva se dá a revisão. Esperava mais.
Rebelde é um livro maravilhoso, que encerrou com chave de ouro essa série tão amada. Super recomendo a leitura a todos. Se joguem e conheçam esse fantástico universo. Não vão se arrepender!

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

 
Livrologias, por Camila Teixeira © 2015
Design e desenvolvimento por Chave Criativa